Quem sou eu

Minha foto

Nascido em Erechim-RS em 1964, no ano seguinte a familia veio morar em Porto Alegre capital do Estado do Rio Grande do Sul- Brasil.
Formado em Química Industrial, Especialista em Engenharia da Qualidade e Mestre em Química, foi executivo de diversas organizações e consultor em gestão empresarial, atuando em diversas entidades públicas e privadas nas áreas de serviços, indústrias, agronegócios, ONGs e outras.
Tem na música e na leitura seus principais lazeres.
Busca constamente observar a vida, aprender e fazer diferença no mundo, não apenas como um mero participante de um momento histórico da humanidade.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Manifesto Bonsensista

A partir de hoje passo a registrar meus pensamentos, ideias, visões de mundo, comentários a respeito da vida sob a ótica do bom senso. O "Manifesto Bonsensista" visa ser testemunha de fatos da vida com uma constante busca de respostas que direcionem o ser humano para a felicidade apesar dos condicionamentos sociais, políticos, econômicos, religiosos, psicológicos ou de qualquer outra ordem com base no bom senso.
Segundo a Wikipédia: "Bom senso é um conceito usado na argumentação que é estritamente ligado às noções de sabedoria de razoabilidade, e que define a capacidade média que uma pessoa possui, ou deveria possuir, de adequar regras e costumes a determinadas realidades, e assim poder fazer bons julgamentos e escolhas. Pode, assim, ser definido como a forma de 'filosofar' espontânea do homem comum, também chamada de 'filosofia de vida', que supõe certa capacidade de organização e independência de quem analisa a experiência de vida cotidiana.
O bom senso é por vezes confundido com a ideia de senso comum, sendo no entanto muitas vezes o seu oposto. Ao passo que o senso comum pode refletir muitas vezes uma opinião por vezes errônea e preconceituosa sobre determinado objeto, o bom senso é ligado à ideia de sensatez, sendo uma capacidade intuitiva de distinguir a melhor conduta em situações específicas que, muitas vezes, são difíceis de serem analisadas mais longamente. Para Aristóteles, o bom senso é 'elemento central da conduta ética uma capacidade virtuosa de achar o meio-termo e distinguir a ação correta, o que é em termos mais simples, nada mais que bom senso.'"
O que me proponho é, inclusive, buscar outras formas, outros ângulos de visão, outros contextos que possam até se afastar muito do senso comum, mas que sejam pautados por princípios que a humanidade já tenha clara e objetivamente construído.
Não vou me omitir em nenhum assunto que considere relevante para uma vida humana mais digna ao mesmo tempo que devo manter um respeito completo à diversidade.
Também não desejo escrever sob limites literários ou de extensão de caracteres, tentando não ser enfadonho ou prolixo, vou expressar e justificar as reflexões tendo em vista uma visão sistêmica com relações de causa e efeito bem objetivas, mesmo aceitando eventuais saltos quânticos. Portanto procurarei desenvolver um raciocínio lógico que, na verdade, tornará óbvia cada conclusão.
Tenha a certeza de que o que nos espera é a possibilidade de tornar possível o utópico. E esta condição trará consigo responsabilidades que devem ser aceitas pelo bom senso.
De nenhuma forma me considero "dono" do bom senso e qualquer erro cometido pela falibilidade de minha condição humana será devidamente reconhecido e publicado. E uma nova reflexão será construída nestas bases.
Assim inicio este blog com a certeza de que as palavras poderão construir mundos que façam a nossa experiência humana mais plena de felicidade. Dedicarei as próximas publicações para definir as bases e critérios que fundamentarão estas reflexões e construirão a integralidade do Manifesto Bonsensista. Simples assim, mas pleno de bom senso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário